Ainda verei o tempo em que o tempo nos dará trégua.
Ainda serei eu, o passado que empurra o presente, para o futuro.
Ainda passará por meus ombros,
Um vendaval de acontecimentos,
E que sem lamentos,
Não mais deixará espaço…
Ainda assim vou suspirar.
Ainda assim vou me por de pé.
Ainda assim vou mudar.
E mudarei novamente,
E no tardar dos tempos mudarei mais uma vez.
Somente para estar novo.
Estar novo, quando o novo não mais me bastar…

Anúncios