Nestes dias eu estive conversando com um grande amigo e entre nossos devaneios, eu disse uma frase e desde então esta frase não sai da minha cabeça, eu disse que somos um querendo ser muitos, enquanto muitos querem ser apenas um.

E ai está a o desafio, qual o momento certo para nos por a frente de tudo e de qualquer coisa, um único momento que seja possível, para quem sabe, realizar um sonho, descobrir algo novo, sentir de novo um sentimento antes esquecido, como seria possível definir este momento?

Por outro lado, em que passo deste caminho, conseguiremos descobrir que já somos muitos dentro de nós mesmos e que tentativas de sermos mais do que somos o tempo inteiro, nos desgasta.

Mas somos assim, definitivamente, somos assim e precisamos viver assim, com esta eterna dúvida, com a possibilidade de sermos acusados de ser egoístas, se neste caso nós resolvermos enxergar para dentro, o que há dentro e o que vem de dentro. Mas podemos também ser culpados por sermos levianos, por que somos muitos, somos mais do que o necessário, e às vezes somos tantos que confundimos a nós mesmos, pois somos os filhos, somos os irmãos, somos os amigos, somos pais, somos o cara da esquina, o cara de barba, o cara que escreve, aquele reúne, o outro que espalha, um que luta o outro que se encolhe, um que sempre se defende o outro que prefere amar, um que está cansado, o outro que já acha que está velho e que o tempo passou rápido demais, somos um que acorda cedo e pula da cama e é de sorriso fácil, somos mais um que chora.

Somos muitos e ainda bem, pois sendo muitos e até mesmo sendo um, somos únicos, sei que é um clichê, e a vida está repleta deles, mas o que é mais clichê, do que abraçar teu amigo entre um copo e outro, contar histórias velhas onde sabemos que a cada vez que ela é contada ela ganha um ar diferente, se não é clichê ganhar cafuné de vó no fim da tarde, me diga o que é então. Clichêzão é olhar nos olhos de alguém e dizer eu te amo, é o maior e melhor de todos.

Clichê é mais ou menos uma expressão idiomática que de tão utilizada, se torna previsível. Eu não quero dizer que somos previsíveis, talvez em alguns momentos a vida sim, seja previsível, mas as nossas respostas a vida, estas, nunca são previsíveis, sabem porque, por que somos um e também somos muitos. E a vida nunca sabe qual de nós vai responder as suas questões.

Somos um querendo ser muitos, somos muitos querendo ser um. Um que valha a pena, um que no fim, tenha um sorriso no canto da boca. E foi isso que fizemos este ano, fizemos valer a pena, de forma egoísta ou leviana, não importa. Fizemos valer à pena.

Anúncios